Clareamento nos dentes dói, desgasta, vale a pena?

Facebook
WhatsApp
Twitter
Pinterest

A aparência do sorriso está diretamente relacionada com os cuidados de higiene e saúde bucal. Dentes mais amarelados podem indicar alguns transtornos como o acumulo de tártaro e placas bacterianas.
A pigmentação dentária mais acentuada também se justifica por outros fatores biológicos e originários, os quais, mesmo com higienização adequada ainda mantêm o tom amarelado.
Como alternativa para este incômodo, o branqueamento nos dentes é a grande solução.
O branqueamento ou clareamento dental é um dos procedimentos estéticos mais procurados nos consultórios odontológicos, pois além de propiciar mais beleza ao sorriso remete um efeito de qualidade e saúde dos dentes.
As variadas opções disponíveis hoje, permite a conquista de dentes mais brancos com tratamentos caseiros ou realizados em consultórios.
Devido ao resultado tão evidente e rápido surge a dúvida, afinal, branqueamento nos dentes dói, desgasta, vale mesmo a pena?
Os benefícios e as desvantagens detalhados abaixo podem te ajudar nesta decisão. Confira!

Ação e reação do branqueamento nos dentes

Sorriso de mulherO branqueamento tem opções a base de peróxido de hidrogênio, carbamida, laser e led.
Com aplicação do gel de hidrogênio e carmamida em moldeiras ou fitas este tratamento pode ser realizado em casa sob a orientação de um profissional ou no consultório, potencializado com as luzes de laser e led.
Este gel estimula a oxigenação dos dentes quebrando as partículas de pigmento amarelo.
O contato deste produto sobre as raízes dentárias, que é mais fina e frágil comparada ao esmalte do dente, ocasiona muitas vezes em dor e sensibilidade.
O laser ou led também influenciam neste incômodo por permitir uma ação mais profunda, chegando algumas vezes até a dentina da coroa dentária provocando inflamação da polpa.
Apesar destas consequências, para muitos, o efeito proporcionado pelo branqueamento supera os incômodos momentâneos, inclusive, a dor e sensibilidade podem ser atenuadas com uma técnica preventiva, a dessensibilização.
A dessensibilização é feita com aplicação de gel a base de flúor, antes do branqueamento nos dentes. Esta ação propicia alívio e fortalece o esmalte do dente prevenindo os efeitos negativos.
Vale ressaltar, que o uso inadequado ou exagerado destes produtos ocasionam danos irreversíveis ao esmalte dentário, como o desgaste da cor, diante disso, a importância em procurar uma orientação profissional é essencial.
Mais natural ou super branco: uma opção de branqueamento para cada preferência
As variadas opções de branqueamento permitem adequar o tratamento ao tempo, bolso e gosto de cada paciente.
Resultados mais naturais, dentes mais brilhantes, tratamentos mais acessíveis por questões financeiras ou de tempo; estes são os critérios que implicam na decisão final de qual escolher.
Atualmente a odontologia estética oferece quatro tipos de branqueamento: caseiro, convencional no consultório, com led e com laser.

  • Branqueamento caseiro: Por meio de moldeiras flexíveis ou fitas, o paciente aplica o gel de hidrogênio indicado pelo dentista e utiliza sob os dentes por um período de 30 minutos a 3 horas.

Este produto é o mesmo utilizado em consultórios, porém determinadas marcas apresentam uma concentração mais baixa, o que influi na extensão do tratamento por aproximadamente 20 dias.
Este método é considerado um dos mais baratos e seguros por não agredir a polpa dentária, todavia, ocasiona um pouco de sensibilidade quando entra em contato com a raiz do dente.
Lembrando que apesar de ser feito em casa, a indicação e orientação desse tratamento é sempre feito pelo dentista, até porque dosagens erradas podem afetar o tratamento e causar problemas para a sua saúde bucal.

  • Branqueamento Convencional no Consultório:

O gel utilizado também consiste em hidrogênio e carmamida e as sessões costumam durar 01:30 horas.
São necessárias ao mínimo quatro sessões e é indicado para pacientes impossibilitados de fazer o caseiro por possuir retrações gengivais ou também, devido à celeridade do resultado.
Apesar de ser mais demorado que as opções de led e laser, este tratamento garante o mesmo resultado final e é bem mais barato que as opções abaixo.

  • Branqueamento com Led: Associada ao gel clareador de hidrogênio, a luz do led acelera o tempo de consulta e resultado do procedimento.

Nesta técnica, o profissional utiliza concentrações mais elevadas do gel e isola dentes e gengivas com protetor.
Para melhor efeito é indicado de uma a quatro sessões por 1:00 hora.

  • Branqueamento com Laser: Assim como o led, esta técnica tem os efeitos acelerados por meio dos feixes de luz e calor do laser.

A diferença entre ambos no resultado final não existe, porém, atualmente o laser vem sendo utilizado no seguimento “ terapêutico”, que promete uma menor reação inflamatória, e logo, menos sensibilidade.
Todos estes tipos de branqueamento proporcionam um efeito mais claro e iluminado, de acordo com a taxa de concentração do produto aliada à cor de esmalte originária do dente.

Sorriso sempre branco seguindo os passos certos!

A durabilidade do branqueamento nos dentes depende muito da manutenção do tratamento, inclusive, dos cuidados de higiene bucal.
Evitar o surgimento do tártaro, que influência no tom amarelado dos dentes, através da escovação adequada, uso do fio, aplicação de flúor e visitas periódicas ao dentista auxiliam na preservação do resultado.
Alguns alimentos que possuem ácidos, corantes naturais ou artificiais também alteram a eficácia do resultado, reduzir o consumo destes, prolonga o efeito do branqueamento.
Os especialistas recomendam um ciclo de dois anos para repetir o procedimento para maior efeito estético.

Você Vai Gostar de:

Saúde

TDHA e TDA

Neste post quero abordar um pouco sobre esta deficiência que muitos tem, mas talvez por falta de informação e também por ser muito pouco falado

Ler Mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.